[#PréÉpoca1718] Basileia 3-2 Sporting – Final de Estágio

DEzFgN6WAAIrEfP.jpg

Acabou o estágio na Suiça e o saldo cifrou-se em 1 vitória e 2 derrotas. Deste jogo tenho alguns pontos a reter:

  • Jug não tem qualidade suficiente. É o terceiro guarda-redes da equipa bem sei, mas não oferece grande confiança aos seus colegas;
  • A defesa é totalmente renovada e não podemos já crucificá-los. Mathieu impôs respeito;
  • Paulo Oliveira prestes a ser, e capacitem-se disso, uma carta fora do baralho. Foi-se embora, acabou-se. Falou-se mais nele quando havia o risco de se ir embora do que no tempo que esteve no clube;
  • Matheus Pereira precisa de oportunidades. Ele tem um excelente talento mas não pode continuar a ter jogos demasiado inconstantes. Ontem, por exemplo, jogou bem e até marcou;
  • Matheus Oliveira, André Pinto e Battaglia. Vamos ver mas até agora são elos mais fracos;
  • Podence, Bruno Fernandes. Claro que sim;
  • Jonathan é o homem da fruta neste momento. É com cada uma em cada jogo…

Jogamos Terça com o Marselha e não vejo, até hoje, razão para andarmos a desconfiar da equipa. É que tenho visto uma depressão generalizada porque não demos 10 ou 20 aos nossos adversários e ainda sofremos muitos golos. Quando a época começar, tudo será diferente. A equipa terá outros processos, será uma equipa mais afinada, mais certa também. Até lá é fazer os estragos todos, até pôr trincos a defender as balizas se eles quisessem.

11 inicial: Azbe Jug, Piccini, Sebastián Coates, Mathieu, Tobias Figueiredo, Johnatan Silva, Petrovic, Bruno Fernandes, Alan Ruiz, Daniel Podence e Bas Dost

Há uma coisa que me tem chateado nos últimos dias e que é revelador do estado actual do desporto português, da verdade desportiva, da cultura desportiva, etc. Com que então o Apito Dourado acabou, não é? E acabou quando temos provas bastante reveladoras, que por sinal ainda andam a circular pela internet e que chegaria para condenar umas quantas pessoas.

E porquê agora?

Para ilibarem os criminosos actuais do futebol português? Para eles virem questionar a justiça desportiva e esperarem por um tratamento igual? Vamos chegar ao dia que dizem que nada disto aconteceu, que foi uma cabala engendrada por uns quantos que só sabem dizer mal e que têm dor de cotovelo. Vamos chegar ao dia que acharão o futebol português um modelo de honestidade e desportivismo. E deixem-me até ir além do futebol, até aos lesados do BES: Manifestem-se na agremiação de Carnide junto ao Colombo que o vosso dinheiro está lá.

Que dia…


Estou profundamente desolado. Ninguém esperava um dia assim, sobretudo quando vivemos constantemente de coração na boca e no desespero de encontrar a vitória que nos sirva de alento, quando a época foi tudo menos boa. Perdemos o acesso à final da Taça de Portugal de Futsal, vencemos o jogo contra o FCP em Andebol para o campeonato mas pela margem mínima (precisávamos de ter 3/+ golos de vantagem neste jogo) e perdemos em Santa Maria da Feira contra o Feirense por 2-1, sendo esta a segunda derrota consecutiva no campeonato.
Estou desolado porque regressou a verdadeira depressão ao Sporting, recheada de dúvidas e incertezas que voltaram a pairar os ares de Alvalade. Este foi o dia em que voltámos a pôr em causa toda a estrutura, todas as palavras e gestos de incentivo vindos de cima, as equipas técnicas, jogadores, directores, tudo, tudo, tudo. 

Os verdadeiros culpados de tudo isto têm de perceber de uma vez por todas porque enchemos estádios e pavilhões mesmo que não tenhamos nada para conquistar. Têm de perceber que trazemos às costas toda uma História que precisamos de conquistar e que o sono se perde numa simples derrota. Gastamos tempo e dinheiro, sirvam-nos com vitórias, mais nada. Parece simples, não é? 

Estou profundamente desolado porque o problema tornou-se transversal mas recuso-me insistentemente a achar que, além da culpa ter morrido solteira, tudo está mal no Sporting. Recuso-me. É preciso fechar as portas, unir as tropas a sério, perceber onde se errou e onde (custa-me tanto) se continua recorrentemente a errar. E fechar portas não é arranjar amiguinhos em todo o lado, desde a CS até aos clubes. É fechar-se com os nossos lá dentro e perceber quem quer isto, tanto como nós queremos.

Não me importo de dar o dinheiro que dou pelo Sporting, e voltarei a dar certamente. O mínimo é darem-me um clube ganhador mas regular, que me preencha parte do ego que a outra vou preenchendo só por vos ver jogar.

Depressão – parte 145195

2017-05-07 12.15.14Bem…mais a frio hoje. Perdemos o segundo lugar que era bem possível em caso de vitória, e tudo leva a crer que seguramos o terceiro porque os 5 pontos de vantagem em 6 possíveis é uma vantagem “larga”.

Mas há uma coisa que me faz confusão: eu quando saio de um dia de trabalho que correu mal, levo comigo a frustração do dia e não raras vezes durmo com elas. Creio que isto se passará com a maioria das pessoas que lêem este espaço e até os que não o fazem. Mas a ideia que os jogadores do Sporting passam muitas vezes é que desligam após o apito final, que tudo passou, que mais um dia se passou e que o ordenado irá pingar no dia estipulado. As mulheres e filhos vão voltar a ver o marido e pai, contente certamente por estar junto com a família. Não condeno isto mas se desligam após o apito final e não sentem a merda que andam a fazer, é certo que vão voltar a envergonhar o clube com exibições paupérrimas. Foi o que aconteceu.

As redes sociais enchem-se de fotos, jantares com amigos, gajas e o Presidente a dar entrevistas ao CM. Mas que merda é esta? Se calhar o defeito é meu que 12h após o apito final ainda me apetecia bater nos jogadores e no treinador. Volto a dizer no que disse aqui: falta raiva nos jogadores, maior comprometimento com o clube e respeito pela instituição que representam. Porque é o trabalho deles e a única coisa que fazem na vida. Depois vemos um Podence a dar tudo, um Geraldes a dar tudo e a não terem lugar na equipa. É claro que fico chateado.

Solução para a última jornada: equipa masculina na Academia e equipa feminina em Alvalade. Para ser justo e de preferência a festejar o título de campeões!

Que se acabe já a época que uma taça já seria nossa

Bem sei que irão tentar provar com as mais variadas estatísticas que a derrota de hoje foi o verdadeiro escândalo. Vão buscar todos os factos para provar que perdemos com um clube de terceira e que isso é a maior vergonha que o clube já conheceu. 

Para mim parece-me o sintoma claro de que nos falta algo no clube que não está no treinador nem jogadores nem direção. Talvez direção mas o problema tem demasiados anos e tem de ser profundamente solucionado. 

Não podemos perder nenhum jogo em nenhuma modalidade sem que tudo o que foi feito até hoje não seja questionado. Relembro o caso da final europeia perdida há dias pela equipa de Futsal. 

Falta ter o controlo das coisas, o respeito pelos adversários que é manifestamente tapado porque não ganhamos títulos no futebol (piam fininho com outras equipas menos com a nossa). Falta a jogadores que rendem mais na B que nos seniores propagarem o que tão bem sabem fazer sempre – parece-me mental mas isso treina-se. Falta tomates para apostar em alternativas mesmo que isso nos custe pontos – não os ganhámos até aqui porque não arriscar?. Falta sobretudo raiva nos jogadores que não existe, falta foco em vencer (se querem tacho para saírem rápido, mais vale arrumar as coisinhas e sairem). Falta aos adeptos a noção que, mesmo fartos de não ganharmos, este processo é demasiado longo e não resulta se mudarmos cada vez que falhamos. 

Aceitar um treinador barato que não viva na sombra dos empresários é dificílimo. Viver num clube que quer afastar a podridão que vai no futebol quando a tantos outros é meio de sustento é tarefa quase impossível. 

Perder em casa custa demasiado, perder contra equipas com um valor baixo e desproporcional custa mais. 

O que vale é que miúdas venceram, e estamos a 1 vitória do campeonato nacional. Eu acredito!

Magia em Alvalade. Amargo de boca no andebol e hóquei. 

Que jogo perfeito esta noite em Alvalade. Deu para tudo, até para ver o grande Adrien de volta, o Podence a mostrar uma vez mais que tem uns pés incríveis, Geraldes a dizer a Jesus que merece uma oportunidade, uma equipa sempre à procura do melhor elemento em campo para jogar e quando não podia, rematava à baliza como manda a lei. Aliás, demonstrámos que com processos simples a vitória fica sempre mais perto. 
Infelizmente a cabeça, nos instantes finais, ditou a derrota no Porto em Andebol e o empate em Alverca em Hóquei com o Barcelos, isto depois de termos tido uma larga vantagem. No que toca ao Andebol, tudo está em aberto e como dizia Portela: “Nós não queríamos isto…acreditem em nós. É até ao fim”. Será mesmo. No que toca ao Hóquei bem sabemos a época que tem sido internamente, e o quanto custa à secção e sobretudo aos jogadores as coisas que aconteceram. É até ao fim, é assim que tem de ser.